Rezar de olhos fechados

Hoje foi-me dada a conhe­cer uma frase do pri­meiro 1º minis­tro e Pre­si­dente do Qué­nia, Jomo Kenyatta. Antes que me venham com a cha­mada da aten­ção, já sei que o senhor depois se trans­for­mou num daque­les líde­res afri­ca­nos inca­pa­zes de levan­tar as náde­gas do banco do poder. Só que, tal como no enten­der dos cató­li­cos os atos de pedo­fi­lia de alguns padres em nada dimi­nuem o valor das homi­lias de que estes pro­fe­rem, tam­bém neste caso a ati­tude polí­tica deve ser afas­tada da aná­lise histórica:

Quando os Bran­cos che­ga­ram a África, nós tínha­mos ter­ras e eles tinham a Bíblia. Eles ensinaram-nos a rezar com os olhos fecha­dos: no momento em que abri­mos os olhos, os Bran­cos tinham as ter­ras e nós a Bíblia.”