Este é um dos momen­tos altos do filme “Con­tacto”, base­ado no best-seller de Carl Sagan e pro­ta­go­ni­zado por Jodie Foster.

Esta sim­ples cons­ta­ta­ção “They should have sent a poet!” (Deviam ter envi­ado um poeta!) é um exce­lente ponto de par­tida para vários pos­sí­veis deba­tes e levanta, desde logo, uma série de questões.

  • Por­que é que uma cien­tista cép­tica como a per­so­na­gem Ele­a­nor Arroway sugere que um poeta seria mais útil , dadas as circunstâncias?
  • Será que algu­mas pes­soas, por razões natu­rais ou soci­ais, pre­cisa de uma com­po­nente sobre­na­tu­ral para atin­gir este nível de deslumbramento?
  • Con­terá esta per­gunta a cons­ta­ta­ção de que a ciên­cia, devido à sua objec­ti­vi­dade intrín­seca, é inca­paz de trans­mi­tir (ou con­ter) fiel­mente qual­quer sen­ti­mento humano, intra ou extra gerado?